Como começar a investir com pouco dinheiro?

Elegemos as melhores estratégias para você começar hoje a construção do seu patrimônio.

Acreditar que investir requer muito dinheiro é um dos maiores erros que uma pessoa pode cometer contra o seu futuro!

É normal as pessoas acreditarem que com poucos recursos não é possível investir no mercado financeiro, assim como pensam que apenas quem já possui uma reserva financeira e com um valor considerável é que consegue alcançar seus objetivos. 

A falta de conhecimento sobre onde investir com pouco dinheiro, infelizmente acarreta nestas suposições, por isso nós da Braúna Investimentos preparamos esse material que vai nortear você a começar a investir e construir seu patrimônio, mesmo começando com pouco.

O importante é começar!

É possível sim investir com um capital baixo, desde que você saiba quais produtos são adequados, unidos com uma boa estratégia para obter rentabilidade e aumentar seu patrimônio. 

O primeiro passo para investir é organizar sua vida financeira e ter determinação, mantendo o foco para atingir seus objetivos. 

Diante deste cenário, selecionamos os melhores pontos de partida para a sua jornada de segurança financeira, apresentando quais produtos você pode investir mesmo com pouco dinheiro. 

Tesouro Selic

Um dos produtos mais conhecidos, principalmente pelo investidor que acaba de sair da poupança ou quer montar uma reserva de emergência. É uma boa alternativa para quem busca um rendimento pós-fixado que acompanha a taxa básica de juros.

A definição da taxa Selic é realizada em reuniões que ocorrem a cada 45 dias e é definida pelo Comitê de Política Monetária. Diante disto, o rendimento do título pode variar ao longo do tempo. A principal vantagem do Tesouro Selic é que a rentabilidade é diária.

Desta forma, trata-se de uma boa alternativa que conta com alta liquidez possibilitando que você realize resgates antecipados sem perda de rentabilidade.

Tesouro prefixado

Tesouro prefixado tem taxa de rendimento definida com um percentual já definido no momento da contratação. Desta forma, o investidor sabe exatamente quanto receberá no fim do período desde que mantenha o investimento até a data de vencimento.

Este título também detém alta liquidez, pois o Governo Federal garante a recompra de todos os títulos do Tesouro. Porém, por ser uma taxa fixa este investimento está mais exposto à variação de marcação a mercado, ou seja, caso queira realizar o resgate antecipado o valor do rendimento pode ser afetado. Na prática o produto pode estar sendo negociado em um valor menor no momento que ocorre o resgate antecipado. 

Um diferencial deste título é que ele tem duas modalidades na aplicação, no qual o cliente pode optar em aplicar com juros no vencimento ou através de pagamentos de cupons semestrais.

Para a primeira modalidade, o valor aportado é pago acrescido de juros na data de vencimento. Já para a segunda modalidade, os juros do período de 6 meses são creditados na conta do investidor, a vantagem desta modalidade é que agrada o investidor que deseja uma renda recorrente.

Tesouro IPCA

Tesouro IPCA é uma modalidade chamada de modalidade híbrida, pois através deste investimento é combinada a taxa pós-fixada com outra prefixada. Para tanto, é utilizado o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Através desta aplicação o que se busca como rentabilidade é o acréscimo de uma taxa fixa, que é definida pelo emissor. 

A vantagem de aplicar nesta modalidade é que seu dinheiro renderá sempre acima da inflação evitando a perda do poder de compra ao longo dos anos. 

São títulos de médio a longo prazo e via de regra são utilizados para quem deseja complementar a aposentadoria, por exemplo.

A alíquota mínima de tributação é de 15% para investimentos com pelo menos 720 dias. 

CDB – Certificado de Depósito Bancário

São certificados emitidos por bancos com a finalidade de captar recursos que são utilizados em suas atividades e projetos. Este título é uma alternativa de renda fixa e funciona como um empréstimo para a instituição bancária.

O investidor recebe uma taxa de rentabilidade em troca do valor aplicado.

Para quem tem buscado investimentos nesses títulos, existem as modalidades que oferecem liquidez apenas no vencimento e outras contam com a liquidez diária, após um período de carência que pode ser diária ou após determinado período

Os valores pagos a título de rentabilidade, podem ser pré fixada, pós-fixada ou híbrida. 

O título mais comum disponibilizado é o Certificado de Depósito Interbancário (CDI), este certificado busca uma taxa equivalente à taxa Selic.

A cobrança de imposto de Renda respeita a tabela regressiva e conta com a cobertura do Fundo Garantidor de Credito (FGC), este fundo garante ao investidor receber o pagamento do valor investido em caso de falência em até R$ 250.000,00.

LCI – Letra de Crédito Imobiliário e LCA – Letra de Crédito do Agronegócio

São títulos emitidos por instituições financeiras. As instituições utilizam os recursos para conceder empréstimos e financiamentos aos respectivos setores. Ambos são opções de renda fixa e têm o funcionamento semelhante.

A diferença do LCI e do LCA é que o LCI é lastreado através do setor imobiliário já o LCA tem seu lastro atrelado ao setor de agronegócio. 

Tanto a rentabilidade quanto o prazo de resgate podem variar de acordo com o título. 

A grande vantagem desses títulos é que eles são isentos da cobrança de Imposto de Renda.

Um ponto de destaque para aplicações no LCI quanto ou LCA é que também contam com a proteção do FGC, o que garante mais segurança para essa alternativa de investimento.

FII – Fundo de Investimento Imobiliário

É uma alternativa de renda variável, ou seja, através desta aplicação não é possível conhecer a lógica de rentabilidade desse investimento antecipadamente, sendo indicado para os clientes que tenham um perfil de investimento moderado ou arrojado.

Esta modalidade de investimento é coletiva, ou seja, equivale a um condomínio de investidores tendo seu foco no mercado imobiliário. 

Através desta aplicação o investidor que decide investir por meio dos FIIs, precisa realizar a compra de cotas do fundo. 

Diversos fundos permitem a compra da cota a partir de R$ 100,00 reais. 

Esta modalidade de aplicação é administrada por um gestor profissional, que atua com a finalidade de obter resultados financeiros para os cotistas do fundo. 

O principal benefícios dos fundos de investimento são principalmente para os investidores que buscam acessibilidade e facilidade na hora de investir. O grande diferencial dos FIIs em relação aos demais fundos de investimentos é que, no geral, os FIIs têm suas cotas negociadas na bolsa de valores, proporcionando uma boa liquidez para os cotistas. 

Um ponto de atenção é que por ser um investimento em renda variável pode haver riscos oriundos das oscilações do mercado. 

Além dos rendimentos que são distribuídos entre os cotistas, também há o pagamento de dividendos que tendem a ser frequentes, principalmente para os fundos do tijolo. Estes valores podem ser utilizados da maneira que você melhor preferir, inclusive podem reinvestir para consolidar o aumento do seu patrimônio.

Ações mercado fracionário

Realizando a compra de uma ação você passa a se tornar sócio ou acionista de uma empresa. Diante desta aplicação você poderá obter rendimentos com o crescimento do negócio. Com certeza essa é a alternativa de renda variável mais conhecida pelos investidores.

Para você que está iniciando na construção do seu patrimônio é comum verificar que as ações são negociadas em lotes de 100 ações, ou seus múltiplos, porém a alternativa é o mercado fracionário, no qual as aplicações são a partir de uma única ação. 

O benefício desta aplicação no mercado fracionário é que o investidor que não dispõe de muitos recursos tem a oportunidade de investir. 

Uma facilidade deste mercado é que facilita na diversificação da carteira de investimentos. 

Que tal começar hoje mesmo a construção do seu patrimônio?

Disclaimer:Importante: CRI, CRA, FIDC e Debêntures não contam com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC). CDB, LC, LCI e LCA contam com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC), que garante a devolução do principal investido acrescido de juros referente a rendimentos, na hipótese da incapacidade de pagamento da instituição financeira, até o limite de R$ 250mil por CPF ou CNPJ, por conjunto de depósitos e investimentos em cada instituição ou conglomerado financeiro, limitado a R$ 1.000.000,00 a cada período de 4 anos, para garantias pagas para cada CPF ou CNPJ. Para mais informações, acesse o site do FGC: www.fgc.org.br Os riscos da operação com títulos de renda fixa estão na capacidade de o emissor (governo, em se tratando de títulos públicos, empresa ou instituições financeiras, em se tratando de títulos privados) honrar a dívida (risco de crédito); na impossibilidade de venda do título ou na ausência de investidores interessados em adquiri-lo (risco de liquidez); e na possibilidade de variação da taxa de juros e dos indexadores (risco de mercado). Em se tratando de título privado, o risco de mercado inclui, ainda, o chamado prêmio do risco, que é aquele inerente à capacidade de pagamento da emissora do título. Muito importante a adequada compreensão da natureza, forma de rentabilidade e riscos dos títulos de renda fixa antes da sua aquisição. Rentabilidade passada não é garantia de rentabilidade futura. Para informações e dúvidas sobre produtos, contate seu assessor.